domingo, 21 de novembro de 2010

Rissóis de carne



Uma boa alternativa: Rissóis




Mais uma receita para quem gosta de poupar tempo no futuro, e ter algumas refeições congeladas, permitindo preparar rapidamente o jantar depois de um dia de trabalho complicado em que não nos apetece estar muito tempo na cozinha.



Esta receita foi-me passada pela minha mãe, mas não deve ser muito diferente da original. Fiz rissóis de carne, mas o recheio pode ser com o que preferirem.



Ingredientes:

- Para a massa

0,5 lt de água

1 noz de manteiga

casca de limão

sal

300 gr de farinha



A preparação da massa é simples, deixamos a água ferver, e depois acrescentamos a manteiga, o sal e um pouco de casca de limão, e a farinha. Existe quem misture tudo com o lume ligado. Eu opto por, assim que a água ferve e a manteiga derrete, desligar a água e adicionar a farinha, mexendo até conseguir que a massa comece a apresentar alguma consistência.



Enquanto a massa arrefere, preparamos o recheio. Desta vez, a minha preguiça atingiu o máximo da escala. Até hoje, cozinhava sempre a carne ou o peixe à parte, acrescentando ao molho branco depois de estar estar preparado. Desta vez fiz de uma maneira, na minha opinião mais prática, mas que alguém há-de discordar e refutar com algum facto científico.



Para já, os ingredientes:

-Para o recheio

2 colheres de sopa de manteiga

150 gr de carne

2 colheres de sopa de farinha

4 dl de leite

sal q.b.

pimenta q.b.

noz moscada q.b.



Deixamos a manteiga derreter, colocamos a carne picada que deixamos cozinhar em lume brando, adicionando a farinha. Quando o último ingrediente estiver totalmente incorporado, acrescentamos o leite, e mexemos. Mexemos até o creme começar a ficar espesso. Não recomendo que fique demasiado espesso porque depois, vai arrefecer, engrossando ainda mais. Para apurar o tempero temos a noz moscada, os cominhos e o sal. Por acaso, esqueci-me da noz moscada, mas ficou igualmente delicioso.



Passamos para a última parte, esta um bocado aborrecida para quem deteste tarefas monótonas, mas nada que o rádio ligado não ajude a ultrapassar...



É importante que espalhem farinha na bancada onde vão trabalhar, evitando assim que a massa esteja constantemente a colar, o que é chato. Também o rolo que vamos utilizar para estender a massa deve ser "barrado" com farinha. Muito bem, estamos preparados para avançar.



A altura a que devem estender a massa é do vosso critério. Como sou demasiado gulosa e prefiro saborear o recheio, estendo a massa ao máximo, até quase ver a cor da bancada através dela. Depois coloco uma colher de sopa de recheio, viro a massa para tapá-lo, fechando o rissól, dou uns toques a toda a volta, bloqueando o recheio, e por último, corto-o usando uma chávena virada para baixo.



Repetindo a operação até acabar a massa, ou o recheio, ou os dois.



Passamos por ovo batido, e pão ralado, seguindo depois para fritar em óleo bem quente.



Para sabermos se o óleo está quentinho, sugiro que deitem um pouco de pão ralado e, se fritar, está pronto.



Seguem algumas curiosidades: não coloquem na frigideira muitos rissóis, pois demorarão mais tempo a fritar, é verdade, quanto mais rissóis colocarmos menos quente fica o óleo; para evitar que os resíduos fiquem à superfície provocando alguma espuma e que os rissóis fiquem com uma cor escura, devem colocar na frigideira uma rolha de cortiça ou um pedaço de pão com côdea.



Entretanto, como tivemos um pequeno percalço com um pacote de 400 gr de ervilhas que ficaram esquecidas fora do congelador, acompanhá-mos os rissóis com ervilhas cozidas. Mesmo assim, as ervilhas farão parte da nossa dieta durante os próximos dias...





Bon appétit!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pela tua participação!