quarta-feira, 29 de junho de 2011

Bifanas com arroz de cogumelos

Perante a declaração da morte do ator e cantor Angélico, lamentando a perda de um jovem de sucesso, esperemos que o trágico acidente obrigue todos os condutores e passageiros a pensarem duas vezes antes de viajarem de carro sem cinto de segurança. Afinal, o azar espreita, e bate à porta quando menos esperamos.

No passado domingo, tivemos direito a um maravilhoso arroz de cogumelos que acompanhou umas deliciosas bifanas.


Ingredientes: - 3 bifanas; - 2 colher de sopa de massa de pimentão; - 1 dl de azeite; - 1 cebola; - 100 gr de cogumelos; - 0,5 dl de vinho branco (usei sumo de limão); - 1 colher de sopa de pimenta rosa (usei 5 pimentas com moínho incorporado); - 2 chávenas de café de arroz; - 3 colheres de sopa de mostarda; - 2 dl de natas; - 1 raminho de hortelã; - sal e pimenta q.b.

Modo de preparação: Tempere as bifanas com sal, pimenta e massa de pimentão. Prepare o arroz, refogando metade da cebola em metade do azeite. Adicione os cogumelos e deixe-os cozinhar um pouco, acrescentado o arroz e depois a água, temperando de sal. Deixe cozinhar por 12 min em lume brando. Aqueça uma frigideira com o resto do azeite e frite as bifanas. Depois de fritas, retire-as e reserve. Aqueça, em lume brando, o molho da fritura das bifanas com o vinho branco, tempere com pimenta e mostarda. Mexa bem e, no final, adicione as natas. Rectifique os temperos e acompanhe com o arroz. Decore com hortelã.







Estava uma delícia! Espero que gostem!

terça-feira, 28 de junho de 2011

Lombos de pescada com camarão

Ontem, acerca do novo governo, numa das peças do telejornal o jornalista comentou que pela primeira vez na história da nossa democracia, um presidente de direita recebeu um primeiro-ministro de direita. E eu acrescentei: "Com tanta direita, vamos ver se é desta que o País endireita!". Devo esclarecer que, no que toca a política, sou pelo partido que zelar pelo "bem estar social". Resta saber se existe e está para se revelar, ou se está para ser fundado ;)


Ontem, o jantar foi uma tentativa de polvo! Digo, e sublinho, tentativa, porque o polvo que coloquei na panela, transformou-se em aranha! Até chamei o S. para ver se encontrava o rasto do polvo!

Quero comentar a receita que preparei no fim de semana e que nos soube muito bem, apesar de termos terminado a noite a comer torradinhas! Vamos ver se consigo resumir os passos, porque a receita é enorme. Pois é, confesso que detesto ler receitas enormes e/ou com mais de uma dezena de ingredientes.

Ingredientes:

- 2 lombos de pescada; - 1 limão; - 1 dente de alho; - 1 colher de sobremesa de amido de milho (usei farinha); - 1 colher de sopa de manteiga; - 1 colher de sopa de azeite; - 1 colher de sopa de natas; - 2,5 dl de leite; - 1 colher de sopa de mostarda; - 1 raminho de salsa; - salsa picada; - 4 grãos de pimenta (usei frasco de 5 pimentas com moinho incorporado); - 1 colher de café de tomilho; - 1 folha de louro (não usei); - sal e pimenta moída.

Modo de preparação:

1ª fase - Cozedura da pescada: Depois de descongelar os lombos, enxugue-os em papel absorvente e tempere com 2 ou 3 gotas de limão. Leve a cozer por 5 minutos em água fervente temperada com sal, louro, casca de limão, pimenta preta, tomilho e azeite. (O tacho deve ficar destapado).


2ª fase - Preparação do molho para deitar sobre o lombo: Dissolva o amido de milho no leite frio e tempere com sal fino e noz moscada. Leve a lume brando, mexendo sempre. Adicione a manteiga e um pouco de pimenta moída no momento.


3ª fase - Preparação do miolo de camarão: Numa frigideira, salteie rapidamente o miolo de camarão, já descongelado, com a margarina e o dente de alho picado finamente. Retire o miolo do lume e envolva-os numa mistura feita com a mostarda e as natas. Tempere a gosto com sal e pimenta moída.


4ª fase - O empratar: Escorra os lombos de pescada e cubra-os com o molho. À volta disponha o miolo de camarão envolvido na mostarda com as natas. Polvilhe com salsa picada finamente.

Como podem perceber pela foto, o miolo de camarão foi substituído por camarão de verdade.

Seguimos a sugestão acompanhando com puré de batata.




Voltarei a repetir, mas desta vez usando o amido de milho, pois por ter usado farinha não fui bem sucedida na elaboração do molho.







Espero que gostem da sugestão!

Alecrim, da horta para o frasco do azeite!




Mais uma descoberta ao folhear uma revista de culinária! De acordo com a "Mulher Moderna na Cozinha" edição de Outubro de 2010, o uso medicinal do alecrim é vasto e pode ajudar nas doenças dos rins, vómitos, vertigens e tonturas, indigestões, anemia, reumatismo, diarreia, sistema imunitário, epilepsia, cansaço, memória, entre outros. Caso para dizer que tenho uma farmácia na varanda!


Comece por limpar os ramos do alecrim e secá-los com um pano ou papel absorvente. Deixe secar de um dia para o outro, para evitar a formação de mofo. Coloque os raminhos secos numa garrafa e preencha-a com azeite ou vinagre. Se prefere sabores mais intensos, acrescente 1 dente de alho descascado e inteiro.




Espero que gostem da sugestão!

domingo, 26 de junho de 2011

Descascar alho

(Imagem da internet)


É por estes truques e dicas que gosto de folhear livros e revistas de culinária, aprendemos sempre alguma coisa. Esta sugestão não é excepção!

Encontrei na montra de uma loja um utensílio cujo preço de venda rondava os 30 euros, quando podemos descascar os alhos com diferentes técnicas, rápidas e bem económicas.

Já experimentei "esmagar" os dentes de alho com uma faca, o que ajuda a descascar sem grandes dificuldades. Já vi a técnica de colocar os alhos no forno, e depois, é só "expremê-los" da casca (programa da Miss Dahl).

Agora, "descobri" que por colocar os dentes de alho em água quente, durante uns minutos, a casca sairá facilmente.

Como retirar o cheiro do alho das mãos? Já experimentei o truque de raspar a palma da mão, incluíndo os dedos, com uma faca. É verdade que parece um pouco perigoso, mas afinal o que não é perigoso na cozinha? Outro truque, menos agressivo e em uso na minha cozinha, é colocar as mãos debaixo da torneira com água corrente durante uns minutos.


Espero que gostem!

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Bolo de chocolate e curd de limão





Nasceu a Joaninha, no passado dia 22! E depois de acompanhar à distância, os desejos e enjoos, os quilos a mais, as roupinhas fofinhas, e os mexeres da pequenota, nada melhor que preparar um bolo de chocolate para, em jeito de festejo, dar-lhe as boas vindas, a um mundo que bem precisa de luz!



Ah! Mas antes disso, tenho a comentar que o feitiço virou-se contra o feiticeiro! Aquele jogo de futebol à terça, que eu desejava que desistissem, passou para mais tarde. Digamos que a este dia da semana não jantamos, ceamos.



O lado bom? Aproveito para me dedicar a outras receitas. Além de ter preparado o bolo de chocolate, fiz curd de limão (ver aqui).







Agora, falemos do bolo que estava maravilhoso, em palavras dos nuestros hermanos: la tarta me ha salido riquisima!


Ingredientes: - 9 ovos; - 300 gr de chocolate para culinária; - 1 colher de sopa de manteiga; - 9 colheres de açúcar; - 1 colher de sopa de farinha; - 1 colher de chá de fermento. Para untar a forma: - manteiga; - farinha.



Modo de preparação: Derreta o chocolate em banho-maria com a manteiga. Pré-aqueça o forno a 175ºC e unte a forma. Bata as claras em castelo, bem firme. Adicione o açúcar às gemas e bata até obter um creme esbranquiçado. Acrescente o chocolate derretido ao preparado das gemas com o açúcar e envolva bem, adicionando as claras em castelo. Divida o preparado. Reserve uma metade no frigorífico e, à outra metade, adicione a farinha e o fermento e envolva. Coloque na forma e leve ao forno por 25 min. Deixe o bolo arrefecer e barra-o com o preparado que reservou no frigorífico.





Espero que gostem!

Hamburguer gourmet

Depois de passar o sábado a fazer compras, e a desejar um momento de descanso, lá despachámos o jantar. Optámos por uma refeição rápida, quase fast-food, não fosse o gourmet do empratar!


Continuo a ler o mesmo livro, e concluo que não se trata de ler devagar, mas sim por ter letra miúda e ser necessário meditar no que se lê. Por exemplo, se lermos: "O "pequeno", para o português, é, na realidade o que para os outros povos representa "médio". É no meio dos pequenos objectos que ele se sente à vontade, é neles que investe enchendo a casa de mil bibelôs, fotografias, cobrindo as paredes com coisas pequenas, quadros, cromos, ex-votos, etc.", em que pensamos? Pois é! Por isso estou a demorar tanto a ler Portugal, Hoje: O Medo de Existir. Pesadinho apesar de ... pequeno.



Acerca da refeição gourmet, um hamburguer, deitado sobre puré de maça, coberto com lençol de cogumelos e amêndoas. Foi acompanhado de massa, e devorado depois de uma canjinha.








Espero que gostem!

terça-feira, 21 de junho de 2011

Bolo mármore




Depois de ter sobrevivido a duas noites muito mal dormidas, sinto que o meu corpo e o meu cérebro ainda não recuperaram e continuo com um défice de horas de sono por regularizar.



Na semana passada, lá andei a espreitar o eclipse total da lua. Que posou discretamente para a câmara.



Esta semana, continuo a ler o livro do José Gil, que entendo, como um ensaio sobre o nosso Portugal. Este excerto diz tudo: "Porque o 25 de Abril não conseguiu abolir a divisão instruído/sem instrução que correspondia mais ou menos ao par poder-saber/pobreza/ignorância do tempo do salazarismo". Isto faz-me pensar em algo que me incomoda, as manifestações exageradas de inteligência, que, para mim, não passam de soberbia.



Segue a receita do bolo mármore.





Ingredientes: - 5 ovos; - 250 gr de açúcar; - 250 gr de farinha; - 150 gr de manteiga; - 1 chávena de leite; - 50 gr de cacau; - 4 colheres de sopa de óleo.



Modo de preparação: Bata os ovos com o açúcar. Acrescente a farinha e a manteiga e misture muito bem. Adicione o leite e envolva. Divida a mistura em duas porções e, a uma delas acrescente o cacau. A cada uma das misturas adicione 2 colheres de óleo. Leve ao forno por 45 min a 175ºC.



Este estava muito fofinho, e foi servido quase depois de sair do forno, como sobremesa depois do tradicional bacalhau cozido com legumes e ovos. Refeição que sabe sempre bem!






Espero que gostem!

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Embrulhinhos de delícias do mar





Sinto falta do Teko, canário inglês dos sogros, que passou duas semanas em nossa casa. Impressionante as aventuras que vivemos com o passaroco. Desde tentar filmá-lo a cantar a quase ser raptado por um pássaro de porte maior. Por sorte, cobri a gaiola com um pano, e acredito que foi por isso que o passáro não conseguiu levantar a gaiola. O certo, é que durante 2 dias, o passarinho não piou. Lá tivemos de exercer um pouco de psicologia de andar por casa, falámos com ele, assobiámos, mudámos a gaiola de sítio (ideia do S. que de muito valeu), e lá começou ele, muito timidamente e sempre a olhar para cima, a cantarolar. Momento de verdadeiro alívio para mim, que não sabia como iria descalçar a bota quando os sogros regressassem.




Esta receita, resultou da sobra da massa dos rissóis, que era 100% seguro que não se ia estragar. Foi retirada do "Livro de receitas de peixe" da Vaqueiro.




Ingredientes (vou dar as medidas que usei):

Para o recheio: - 5 talos de delícias do mar; - 1/2 cebola; - 1 colher de sopa de azeite; - pitada de gengibre em pó (se tiver fresco para ralar utilize 2 cm de raiz); - 1 dente de alho; - cebolinho e salsa picada; - 1 colher de chá de vinho da madeira.

Para a massa: - 1 chávena de chá de água fervente; - 1 colher de chá de manteiga; - sal q.b.; - 1 pedaço de casca de limão.



Modo de preparação: O ideal é começar por preparar a massa, permitindo que arrefeça um pouco enquanto prepara o recheio. Logo que a água levante fervura, tempere de sal, acrescente a manteiga e a casca do limão. Assim que a manteiga derreta completamente, acrescente a farinha e com o lume desligado, mexa bem até absorver toda a água. Deite sobre folha de papel de alúminio, espalhe com a colher de pau para arrefecer mais depressa e pode acrescentar pequenas nozes de manteiga para tornar a massa ainda mais macia.


Para a preparação do recheio, comece pelo habitual refogado, acrescentando depois as delícias cortadas em pequenos pedaços, tempere com gengibre, o vinho da madeira e depois as ervas.


Estenda a massa a seu gosto e coloque numa das extremidades uma colher de chá de recheio, vá dobrando conforme os passos das fotos, até obter um quadrado. O ideal é recortar pedaços de massa 10X10, apesar de o das fotos ser mais 10X5 :)






Frite em óleo e sirva quentinho.



O livro dá a sugestão de um molho servido à parte, que não preparei, mas deixo os ingredientes e modo de preparação: 4 colheres de ketchup misturadas com 2 colheres de xarope de gengibre ou de limão, 1/2 colher de chá de molho doce, 1 colher de sopa de vinagre de cidra, piripiri, sal e pimenta.

Na minha opinião além de aproveitar a massa, foi uma forma de o S. comer delícias, já que é mais carne.



Espero que gostem da sugestão!

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Sorteio do Blog da Sonia

Ainda que seja restrito ao território Espanhol, deixo o logo do sorteio que a Sónia está a promover.


O cãozinho é lindo!

Arroz de peixe espada com coentros



Esta receita aprendi com sugestões dadas pelo sogrinho, quase no início do meu namoro com o S., altura em que eu e os tachos ainda não havíamos desenvolvido convenientemente a nossa relação. Lembro-me perfeitamente desse dia, pois estava na cozinha do S. armada em chef a preparar uma espécie de almoço, com o volume do rádio um pouco mais alto do desejado, para ajudar ao desastre, estava a cantarolar, e, de repente, aparecem os sogros, regressados de viagem. Verdadeiro momento de embaraço!

Bem, já lá vai! Lembro vagamente que o prato que preparava implicava uma posta de peixe espada, se não estou em erro, grelhada. Como o preparei não lembro. Acontece que o que era suposto ser almoço para 3 foi para 5, apesar de o sogro ter fritado uns maravilhosos croquetes.

Foi aí que surgiu a sugestão deste maravilhoso arroz!

Ingredientes: - 1 posta de peixe espada; - azeite q.b.; - 1/4 cebola; - 1 medida de arroz; - 1/2 tomate; - 2 medidas de água; - coentros q.b.

Modo de preparação: Coza o peixe espada em água fervente temperada com sal, por aproximadamente 15 min. Depois de cozido, retire da água, limpe-o de espinhas e desfaça-o. Prepare o refogado, junte o arroz, depois o tomate reduzido a pequenos pedaços, envolvendo bem. Adicione as medidas de água e tempere de sal. Marque 5 min e adicione o peixe e os coentros. Deixe cozinhar mais 5-10 min, ou até o arroz estar cozido.

Estava uma delícia! E 1 posta de peixe-espada serviu 3 pessoas! Em tempos de crise, temos de saber fazer uma boa gestão do orçamento.







Espero que gostem da sugestão!

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Mousse de morangos



Esta sobremesa dedico aos 41 seguidores, e ofereço às quase 10.000 visitas, número que não esperava alcançar tão cedo!

Foi saboreada no jantar comemorativo, e retirada da rubrica de culinária da RTP1.

Gostei tanto da sugestão que sujeitei-me a uma caminhada de 1 hora para comprar os ingredientes que faltavam. Assim, pude deliciar-me sem remorsos, já que tinha gasto algumas calorias.

Vejam como é fácil!

Ingredientes para 6 gulosos: - 1 lata de leite condensado; - 1 pacote de natas (200 ml); - 500 gr de morangos; - folhas de hortelã para decorar.

Modo de preparação: As natas devem estar bem frescas e devem ser batidas com o leite condensado, até apresentar uma consistência quase espessa e alguma espuma. Acrescente aos poucos os morangos cortados. (Não precisa ser muito profissional, já que as varas da batedeira ajudam a triturar os morangos em pedaços mais pequenos). Leve ao frigorífico para servir bem fresquinho. No momento de servir decore com folhas de hortelã e pedaços de morango.





O frio ajuda a solidificar um pouco, e no dia seguinte ao da preparação estava ainda melhor.



Nós gostámos muito!

Bacalhau em crosta de broa com coentros



Estava decidido que festejaríamos o 2º aniversário de vida em comum. E como passou depressa! Claro que tivemos os nossos momentos muito bons, e os menos bons. Claro que aprendemos com todos eles, sem excepção. E claro que têm sido muitas as emoções que enchem os dias da nossa vida!


Foi tudo planeado ao pormenor, e até o salto alto participou na festa a dois.



A ementa, foi escolhida no dia, e não consigo deixar de achar piada. O prato principal, bacalhau em crosta de broa de milho com coentros, foi sugestão da rubrica de culinária da TVI. Já a sobremesa, esperem até ao post seguinte.



Ingredientes: - 2 postas de bacalhau; - 1/2 broa; - coentros; - 4 batatas tam médio (6 pequenas).



Modo de preparação: Aqueça o forno a 200ºC. Lave muito bem as batatas, corte-as no sentido do comprimento e com uma folha de papel absorvente retire parcialmente o excesso de água. Deite azeite num tabuleiro, acrescente as batatas e tempere com sal e pimentão (colorau). Leve ao forno durante 40 min. Entretanto, triture o miolo da broa, depois os oregãos e misture bem. Noutro tabuleiro, deite um fio de azeite e adicione o bacalhau, cobrindo-o com a mistura do pão. Leve ao forno por aproximadamente 20 min ou até a broa alourar.



O chef que preparou este prato, reduziu as batatas cozidas a puré e, numa forma redonda, alourou a batata dos dois lados numa frigideira com um fio de azeite. Depois, empratou o bacalhau em cima da batata. É verdade que tinha um aspecto mais gourmet que o meu, mas acredito que soubesse igualmente bem.






Espero que gostem!

terça-feira, 14 de junho de 2011

Feijoada com cogumelos



Do seguimento quase diário de alguns blogues, fui surpreendida pela sugestão da Nina que nos ensinou a preparar uma feijoada de cogumelos. O suposto era aproveitar eventuais restos de carne, mas eu adorei tanto a ideia que limitei-me a exagerar na quantidade de cogumelos! Veja a receita da Nina aqui.



Não diferi muito da receita original no que concerne aos ingredientes utilizados, mas a minha feijoada não ficou com tanto molho porque usei pouco líquido da cozedura do feijão. O feijão ficou de molho de véspera e foi cozido na panela de pressão durante 30 min, com bastante água e temperado com sal. Outras vezes acrescento nabo ou batata, ou os dois, e ainda louro, mas desta vez, foi o básico dos básicos.


Ingredientes para 4 pessoas: - 1 chávena de chá de feijão seco; - 1/2 embalagem de cogumelos; - 1/2 cebola; - 2 dentes de alho; - tomate; - 1/2 pimento vermelho; 1/2 pimento amarelo; - 3 fatias de bacon; - 2 raminhos de salsa.


Modo de preparação: Escorra o feijão cozido e reserve. Lembre-se de reservar também a água da cozedura. Prepare o refogado e acrescente os cogumelos laminados. Logo que comecem a ficar castanhos, acrescente o tomate cortado em cubos, bem como os pimentos. Deixe cozinhar 5 min e adicione o feijão. Vá adicionando a água da cozedura do feijão a gosto. Rectifique o tempero de sal e, se gostar, de piripiri. Polvilhe com salsa e acompanhe com arroz.


Por falar em arroz, eu já comentei que em tempos preparar arroz era o meu pesadelo. O meu, e o da minha família! Ou ficava cru, ou cozia de mais, ou salgava, ou ficava insosso, ou tinha água a mais ou a menos. Conclusão, nunca ninguém pedia para eu fazer arroz. Foi mais ou menos o que aconteceu no dia da feijoada! :) Como parti o saleiro estou a usar um franquinho, o problema é que não consigo dosear de sal da mesma maneira que estava habituada. Claro que ficou uma pilha. Ainda tentei acrescentar água fervente para reduzir, mas não fui muito bem sucedida. Decidi deixar cozer o arroz, e terminados 15 min, escorri e passei por água fria. Como ia acompanhar com a feijoada, ninguém (eu e o S.) iria perceber o meu pequenino desastre. E resultou!





Bom apetite!

Sopinha... com tomate



Numa semana em que o tempo pregou algumas partidinhas, comemos uma sopinha que, na minha modesta opinião, estava uma delícia. Sei que o tempo começa a pedir saladinhas, das quais também sou fã, mas esta receita tinha de ser postada.

Ainda acerca da visita do T., o primo vegetariano, comentou que sopa tem de ter cebola, alho e, tomate. Tomate? Nunca adicionei tomate, porque no meu pequenininho mundo o tomate estaria para o gaspacho, assim como o sol para o dia, ou a lua para a noite!

Comentei com a minha mãe que concordou com o T., mas disse para ter cuidado porque no verão a sopa azeda mais depressa quando o tal do tomate é incluído.


Ai! As coisas que ando a aprender! Deve ser por isso que a comida da mãe é sempre mais saborosa. A mãe, antes de ser mãe, foi filha, namorada, e mulher.

Ingredientes para 6 doses: - 4 batatas; - 1/2 cebola; - 2 dentes de alho; - 1 tomate; - 1/2 cenoura; - 5 folhas de couve (qualquer tipo); - 3 rodelas chouriço; - 1,2 lt de água; azeite e sal q.b.


Modo de preparação: Descasque e lave todos os ingredientes. Refogue a cebola e o alho, adicionando os restantes ingredientes para suarem. Passados aproximadamente 5 min acrescente a água fervente e tempere com sal. Deixe cozinhar por 15-20 min. Triture muito bem e sirva quentinho.




Espero que os guste!

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Morangos com topping de chocolate



Estes moranguinhos eram de origem portuguesa e souberam mesmo bem! Nada tenho a ensinar com esta receita, apenas a dizer que têm de experimentar!

Ingredientes além dos morangos: - 100 gr de chocolate; - 2 colheres de sopa de manteiga; - leite q.b.

Modo de preparação do molho de chocolate: Comece por derreter o chocolate com a manteiga em banho-maria (ou no micro-ondas). Vá mexendo e, verificando que ao derreter o chocolate engrossa, acrescente leite e continue a mexer até obter um creme liso.

Lave e corte os morangos, disponha em taças e adicione o topping de chocolate.

Lembre-se de limpar a taça! ;)




Espero que gostem!

Perninhas de frango com tomate e pimento



Num dia em que me havia esquecido que o chef seria o S., e que o jantar seria um maravilhoso bacalhau à braz, passei pelo Hiper do costume e comprei umas perninhas de frango de excelente aspecto. Perdi a cabeça por uns pimentos amarelos. Adoro pimentos amarelos! São tão bonitos que até dá pena cozinhá-los.

O jantar foi preparado num ápice.

Ingredientes para 3 pessoas: - 6 pernas de frango; - azeite; - cebola; - tomates; - pimento amarelo e vermelho. Acompanhe com arroz branco.

Modo de preparação: Prepare um refogado onde alourará as pernas de frango logo que a cebola fique branda. Acrescente o tomate pelado e cortado em cubos. Adicione também os pimentos igualemente cortados em cubos. Deixo os legumes suarem e acrescente água fervente, deixando cozinhar por 10-15 min. Entretanto prepare o arroz branco.

Não costumo comprar embalagens só de pernas de frango, porque acho um desperdício de dinheiro. Mas, tal como esperava, o frango era de excelente qualidade, não ultrapassando a consumida habitualmente que compro num talho de confiança. Para variar um pouco, valeu o dinheiro.

Depois desta refeição, quase gourmet, faltava uma sobremesa, também quase gourmet!




Bom apetite!

Lasanha bolonhesa



A terminar as férias, e já a aguardar pelas de Verão, aproveito para actualizar algumas das receitas.


Quanto à leitura, continuo a ler o mesmo livro. Não por ser um bocadinho menos ligeiro, até porque é um verdadeiro relato do nosso Portugal, visto por alguém que sabe manejar as palavras. Já li o capítulo onde fala do papel dos meios de comunicação social, principalmente do meio televisivo e do seu papel junto do povo. Estou na parte da inexistência de verdadeiros debates políticos. É engraçado que o livro foi editado em 2004 ou 2005, mas está super actualizado! Prova disso, foram os debates a que tivemos a oportunidade de assistir e, onde ficamos a perceber que os candidatos estão mais interessados em discutir as supostas menos boas medidas dos adversários em vez de apresentarem e defenderem o seu programa.



A sorte é que o Sol e a praia não serão privatizados!



Bem, se não percebo quase nada de cozinha, muito menos percebo de política, por isso, deixo aqui a receita de um dos meus pratos preferidos, Lasanha de Bolonhesa.



Ingredientes para 6 pessoas:


Para a massa: - 12 placas de massa; - 1,5 lt de água; - azeite e sal q.b.;


Para a carne: - azeite q.b.; - cebola; - 300 gr de carne picada; - 4 cogumelos frescos; - salsa q.b;


Para o molho bechamel: - 2 colheres de sopa de manteiga; - 2 colheres de sopa de farinha; - 3 dl de leite; - 2 dl de natas; - noz-moscada, pimenta e sal q.b.


Para polvilhar: queijo ralado.





Modo de preparação: Como não comprei massa pré-cozinhada, cozi as placas em água fervente temperada com sal e azeite por 5 min. Entretanto, faça o refogado, acrescente os cogumelos e deixe-os cozinhar até ficarem castanhos. Adicione a carne previamente temperada com sumo de limão, sal e colorau, deixe cozinhar por 10 a 15 min. Prepare o molho bechamel, derretendo a manteiga e adicionando a farinha até que toda a manteiga seja absorvida. Junte 3 dl de leite e 1 dl de natas e mexa bem até engrossar. Desligue o lume do molho e acrescente 1 dl de natas, tempere com sal, noz-moscada e pimenta, a gosto. Num pirex de ir ao forno untado com manteiga, faça uma camada de massa, cubra com o preparado da carne e polvilhe com queijo ralado, repita as camadas até terminar com uma camada de massa. Deite o molho por cima e polvilhe com bastante queijo. Leve ao forno por 30 min a 200ºC. Acompanhe com salada e delicie-se!









Espero que gostem, tanto quanto eu!

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Zabaglione



Além de aproveitar para passear, durante esta semana de férias já li um livro, "Cartas Anónimas" da Agatha Christie, e estou a ler "Portugal Hoje, o Medo de Existir" do filósofo português José Gil.

Na semana passada jantei com a M. e a T. e, preocupada com as calorias que iríamos consumir, decidi que a sobremesa tinha de ser quase light. Encontrei uma versão de zabaglione com apenas 177 calorias. O jantar foi pizza de atum (ver aqui).


Ingredientes: - 4 gemas tam L (ou 5 tam M); - 3 colheres de sopa de açúcar; - 1,5 dl de vinho Marsala ou da Madeira.

Modo de preparação: Coloque um tacho com água ao lume e deixe ferver. Numa tigela resistente ao calor, misture as gemas com o açúcar e bata com uma vara de arames até a mistura ficar leve e cremosa. Encaixe a tigela no tacho, que já deve ter a água a fervilhar, junte o vinho Marsala e continue a bater com a vara de arames até engrossar. Deite o zabaglione em copos altos e sirva.

O livro de culinária sugere que, quem não goste de bebidas alcoólicas, substitua o vinho por sumo de laranja e misture 1 colher de chá de raspa de casca de laranja.

A T. não conseguiu comer porque sabia muito a alcoól. A M. e eu gostámos, mas o sabor era de facto intenso. A sugestão da M. foi reduzir a quantidade de vinho.

É uma sobremesa a repetir, e muito fácil de preparar, demorando aproximadamente 15 minutos.

Para entrada tínhamos miniaturas de rissóis de peixe, que a M., de origem polaca e que não gosta de peixe, disse que os meus rissóis são os melhores que já comeu em Portugal! Comemos pão de alho e a pizza foi acompanhada de salada verde.




Espero que gostem!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Os nossos tomates e as férias

Antes de avançar com a actualização dos dias da nossa vida, tenho de mostrar alguns dos tomates que temos colhido na varanda. Estes foram colhidos a 02-06-2011. Entretanto, colhi mais uns quantos que foram de grande utilidade para o jantar de hoje.



Agora, umas fotos a relatar as férias:





Espero que gostem!

Bolo de iogurte



Estou de férias! Que são mais que merecidas! Tenho aproveitado para passear, apesar do tempo fazer caretas, e apesar de não contar com a companhia do maridão que tem de trabalhar. Segunda fui ao jardim, terça fui à praia e até me atrevi a um banho de mar, e até tive direito a uma exfoliação corporal já que o ventinho que se fazia sentir levantou alguma areia! Hoje, passei 4 horas na biblioteca a ler livros de culinária. Quase li, de capa a contra-capa, um livro sobre o fabrico de pão, as diferentes farinhas, os diferentes fermentos, as técnicas e sugestões, entre outros. Oportunamente comentarei as curiosidades!


Claro que o tempo continua contra mim, mas já decidi que amanhã vou até à vila mais próxima a pé para beber um cafézinho e apanhar outros ares!


Deixo a receita do bolo de iogurte que fiz, aproveitando para comentar que esqueci de adicionar a medida de óleo, mas o bolo ficou tão bom, que acho que vou continuar a esquecer-me!


Ingredientes: - 1 copo de iogurte natural; - 3 medidas de açúcar; - 3 medidas de farinha com fermento; - 4 ovos; - sumo de 1 limão; - manteiga e farinha para untar.


Modo de preparação: Unte a forma com manteiga e farinha. Retire o iogurte do copo e reserve. Utilize o copo para as medidas dos restantes ingredientes. Bata os ovos com o açúcar, até obter um creme esbranquiçado. Acrescente a farinha e envolva muito bem. Adicione o sumo de limão. Leve ao forno pré-aquecido a 175ºC por 45 min ou até ao espetar um palito este saia limpo de massa.




Este bolo é tão simples, que até enjoa! E, estava uma delícia!





Espero que gostem!