quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

O meu desespero...

Quase de um dia para o outro fiquei com as paredes da casa carregadas de humidade. Uma humidade que cresce elevada a um exponencial gigantesco. Em desespero, lá voltei à net a ver se encontrava uma casa que me realizasse minimamente. Mas não. É impossível querer pagar pouco e ter uma coisa minimamente interessante. Sou realista e defino um valor máximo de renda que me permita cumprir sem falhas. Mas colocam cada coisa na net que é de bradar aos céus.

Até encontrar algo que me motive a suportar o peso de uma mudança, decidi lavar as paredes. Claro que a tarefa obrigou ao uso da lixívia, porque isto estava a dar cabo de mim, da minha paciência e da minha saúde pois as minhas alergias estavam ao rubro. Enfim. Foi lavar a casa de banho e desatar num pranto. Eu só pensava: "Eu não mereço isto".

Sábado consegui dar nova cara à casa de banho e ao quarto. Vivo num primeiro andar que equivale a um terceiro, mas mais parece que estou enfiada numa cave. Mas depois, tenho o senhorio a apitar aos ouvidos que vista melhor é impossível. Pois, se eu tivesse a oportunidade de gozar a vista. No ano que está prestes a terminar fui à praia uma vez sozinha. As outras vezes foi para andar a pé. Mas para isso também não preciso de ter a vista. Passo semanas sem olhar para o horizonte. Sei que só darei valor depois de não ter a vista. De qualquer modo, esta já fica guardada numa gavetinha do meu cérebro. Se tiver de a usar, usarei.

Falta a entrada, a cozinha e a sala. Ui, a sala. Até me dói o coração só de pensar nela.

Por isso, hoje, depois de sair do trabalho, não terei outro remédio senão o de agarrar no paninho e fazer-me  à vida. Detesto ter a casa suja e desarrumada e para mim, a humidade é o cúmulo da despreocupação. Quero entrar no 2013 com tudo limpo e arrumado. Claro que um dos meus objectivos para o novo ano é conseguir uma casa em condições. Uma que agrade à R. e ao S. (que consegue ser mais exigente que eu e que quase me leva à loucura...).

Continuo sem máquina fotográfica, mesmo assim, duvido que postaria fotos tão horríveis.

4 comentários:

  1. Acho que vais conseguir, querida! Pensamento positivo, sempre! E cada vez há mais casas vagas para arrendar!
    um grande beijinho da Nina

    ResponderEliminar
  2. Eu também detesto humidade de vez em quando também aparece mas só no meu quarto.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. É preciso respirar fundo e ter calma...Tudo se resolve...E antes fossem todos os problemas da vida estes! :(

    ResponderEliminar
  4. ... Tb detesto ... A minha cozinha estava a ficar com o mesmo problema... Tive uma infiltração na chaminé e foi um stress :(
    lá andámos a lavar a parede mas mm assim qd chegar o bom tempo vamos ter de pintar ... :(

    Calma ... com calma tudo se faz !
    Beijinho doce

    ResponderEliminar

Obrigada pela tua participação!