segunda-feira, 30 de abril de 2012

Biscoitos de Aveia


Entre o trabalho, a natação, as aulas de espanhol, tratar da casa e tomar conta do Zeca, o tempo voa e tenho obrigatoriamente de colocar para segundo plano outras actividades. Foi o que aconteceu com o blogue. 

Sexta fui às compras e aproveitei para repor alguns produtos, como as lentilhas e a linhaça moída; e comprar novos como o cuscuz, a soja, e as sementes de papoila. Depois de espreitar quase todas as prateleiras da secção dietética, passei pela gourmet onde vi um pacote de bolachas de aveia a 4,99€ e que tinham um excelente aspeto. Claro que pensei que por esse preço, compro os ingredientes e faço eu mesma. E fiz!

Ingredientes para 16 biscoitos (com colher de sopa): - 80 gr de açúcar mascavado; - 80 gr de manteiga vegetal; - 100 gr de farinha integral; - 30 gr de aveia inteira; - 1 ovo; - pitada de sal; - pitada de canela (menos de 1/2 colher de café).

Modo de preparação: Pré aqueça o forno a 175ºC. Comece por misturar o açúcar com a manteiga, com a batedeira por 5 minutos. Acrescente a farinha e envolva bem. Adicione o ovo. Termine com a pitada de sal e de canela. Num tabuleiro untado com manteiga e forrado com papel vegetal, disponha colheres de sobremesa ligeiramente afastadas para não agarrarem. Leve ao forno por 15 minutos.

As bolachas por serem de farinha integral e de aveia dão a sensação de se ficar satisfeito muito rapidamente. Boa sugestão para quem queira manter a linha sem deixar de consumir doces, ou evitando o consumo das famosas barrinhas que provavelmente serão mais calóricas que uma bolachinha caseira!

Espero que gostem!

terça-feira, 24 de abril de 2012

Novo Desafio

Recebi este desafio do Quotidianos de Seda e como não podia deixar passar, vou responder!

Cumpridas as primeiras condições: colar o selinho e referenciar quem ofereceu; passo a comunicar a quem o ofereço: 



Agora, a vez das nomeadas passaram a quem entenderem!

Quanto aos factos aleatórios, vou dizer os que me vierem à cabeça:

1 - Detesto apanhar chuva;
2 - Adoro a calma;
3 - Adoro o silêncio;
4 - Detesto viver na ignorância;
5 - Detesto comer com pressa.

Quanto ao selinho, tal como muitas blogueiras tenho receio dos famosos vírus, por isso fiz um print screen da página do Quotidianos de Seda e, no Microsoft Office Picture cortei o selinho!

Até ao próximo post!




segunda-feira, 23 de abril de 2012

Congelar refeições

(via Internet)

Até à uns tempos atrás, antes da minha vida de blogueira, as refeições eram preparadas sempre para 2 ou 3 pessoas, mediante a necessidade de preparar almoço para o maridinho. Agora, isso mudou um bocadinho e, provavelmente, será um campo a explorar.
Na semana passada descongelei carne picada. O saco devia ter umas 300 gr. O S. perguntou se com a carne que sobraria eu iria preparar rissóis. Lá está, à uns tempos eu reservaria parte da carne para outra coisa qualquer. Desta vez não. O jantar ia ser linguini com almôndegas. Preparei o molho e fiz toda a carne em almôndegas. Eu jantei, o S. jantou, o S. levou para o almoço e, o que sobrou foi congelado.
Depois de uma tarde a limpar a canalização do lavatório da cozinha, coisa menos bonita de se fazer mas igualmente necessária, não havia paciência para muito mais. É que depois disso foi a vez de limpar toda a bancada e armários e garantir que tudo ficaria limpo e desinfectado. Por isso, o jantar foi o que sobrou do jantar de sábado, rolo fingido recheado com bacon e fiambre acompanhado de linguini, para o almoço do S. descongelei as almôndegas e levou o mesmo acompanhamento.
Ontem fiz frango assado no forno para o almoço. Fiz um frango, claro que comemos apenas metade. Com a outra metade, e como deixei feijão branco de molho, vou preparar esta receita e, o que sobrar, congelo para outra refeição.
Assim, aprendo a gerir melhor o tempo e os recursos como o gás e a electricidade.
E vocês, como fazem?

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Nasceu o novo blogue!

No seguimento deste post, decidi criar o blogue http://trabajarenhogar.blogspot.pt/. Perdoem o nome, mas não estava disponível nem em Português, nem em Inglês, e nem sei se a tradução é a mais correta.

Neste novo cantinho, quero partilhar os três anos a trabalhar em casa. Falarei do que entendo ser as melhores condições de trabalho, a definição do espaço, do horário, da produtividade, das actividades pós laborais, entre outros assuntos que pareçam oportunos. Claro que espero aprender de quem visite e queira partilhar a sua opinião.
Espero que este projeto seja do vosso agrado e que seja possível contar com a vossa colaboração!

Sem penalização

Lembram-se do meu stress em entregar a declaração periódica do IVA? E lembram-se do meu stress quando recebi uma carta a informar que estava pendente de entrega? Pois é. Recebi uma multa, fui às finanças reclamar e, depois de falar com 3 pessoas diferentes e ter insistido em apresentar a minha reclamação, uma senhora funcionária que teve a lata de perguntar: "Mas, quer reclamar do quê?", claro que respondi: "Reclamar do stress em que o facto de não terem perfil para activar a senha, me deixou.", ao que a senhora sugere que eu envie uma carta registada dentro do prazo que as finanças me davam para liquidar os 200 euros de multa. Assim fiz, escrevi uma carta, defendendo que entendia não ter de ser penalizada quando de tudo fiz para entregar a declaração. Enviei cópia da reclamação apresentada na Sertã e da senha provisória entregue em Condeixa.
Ontem, recebi a resposta. Não tinha réstia de esperança de que me absolvessem. Demorei alguns minutos a ler a carta e, incrédula, pude constatar que me deram razão. Entenderam que eu tive interesse em cumprir com o meu dever. Que não tenho nada pendente nas finanças. Que nem sequer tenho valor a pagar ao Estado, uma vez que trabalho para uma empresa na comunidade europeia, mas por ultrapassar o valor mínimo anual, sou obrigada a preencher uma declaração de uma coisa que não recebo, nem pago.
Nem imaginam o alívio. Já estava a fazer contas à vida e a pensar que pelo terceiro mês consecutivo teria de contar moedas. É que 200 euros fazem imensa diferença.
Sugestão: Sempre, mas sempre, que tenham um problema, certifiquem-se de que têm convosco um qualquer comprovativo. Escrevam ao diretores dos serviços em questão, e não o façam de forma agressiva, mas sim assertiva. Expliquem os vossos motivos. Façam-no por carta registada com aviso de receção, isso prova que vocês são responsáveis e têm interesse em que tudo se resolva da melhor maneira. Com estas medidas já ajudei o meu pai a resolver uma situação com a Meo, cujo serviço rescindiu e depois foram emitidas faturas. E o meu irmão, quando o contabilista não entregou o IRS de um ano. Tudo apresentado por escrito, como quem diz: "Ou colaboras, ou tenho provas de que nada fizeste, quando eu demonstrei interesse."
Portanto, nem todos os funcionários públicos são má rés. Só mesmo a senhora da Sertã que não levantou o c* da cadeira, ou a das finanças da minha zona que além de parecer que tinha um dedo no c*, parecia um papagaio a dizer: "Tem 45 dias para apresentar a declaração".
E pronto, desabafei.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Bolo de maçã


Na sexta fomos ao teatro ver a peça "39 Degraus". Gostámos muito. A peça tem um bom argumento, os atores estão no seu habitat natural e tem uma excelente pitada de humor. Recomendo. No sábado, fui para a aula de espanhol e ainda ontem ao lavar a loiça me ria sozinha com o meu comentário de louca. Passo a explicar, estavamos a falar sobre o crescimento da população e a discutir medidas, a professora pergunta se nós tínhamos algo mais que nos preocupasse, e aqui a menina comenta que acredita que vamos começar a morrer de doenças fabricadas em laboratório, do tipo da tal gripe que andou a amedrontar o mundo e que motivou Portugal a comprar carradas de vacinas que entretanto foram para o lixo! Digam lá se a minha teoria não parece o argumento de um filme americano? Para terminar, ainda pensei que os meus colegas devem pensar que sou louca e que no próximo sábado todos me vão olhar de lado e pensar: "Olhem! A doida que acredita que vamos todos morrer!".
Quem ia morrendo era mesmo eu, já que na segunda feira consegui comer sozinha quase um bolo inteiro. Não sei o que se passava comigo. Lá está, mais um ponto negativo de trabalhar em casa, o frigorífico está sempre comigo... Cada vez que ia à cozinha, tirava uma fatia, até que ficou apenas uma e pensei que o meu amor não ia comer aquele resto, lá a devorei prometendo a mim mesma que faria um novo bolo para que o meu S. não ficasse aborrecido comigo.
Ingredientes: - 150 gr de manteiga derretida em banho maria; - 1 dl de água, - 100 gr de açúcar; - 1 colher de sopa de sumo de limão, para o caramelo; - 4 maças golden; - 150 gr de açúcar; - 3 ovos; - 150 gr de farinha; - 6 gr de fermento; - raspa de laranja (optei por 1/2 colher de café de corcuma).
Modo de preparação: Comece por derreter a manteiga e por preparar o caramelo. Descasque e descaroce as maçãs, cortando em fatias largas. Pré aqueça o forno a 180º C. Forre a forma lateralmente com papel manteiga. Deite o caramelo no fundo espalhando e, sobre ele, disponha a maçã. Bata as claras em castelo e reserve. Bata a manteiga com o açúcar até conseguir um creme espumoso. Adicione as gemas uma a uma. Alternadamente vá adicionando a farinha misturada com o fermento e peneirada e as claras. Leve ao forno por 40 minutos. 



Neste primeiro bolo, não tive a paciência necessária para que o caramelo ficasse mesmo caramelo, já no segundo tive a paciência e o topo do bolo ficou muito mais bonito. 

Espero que gostem. Nós gostámos muito!

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Espécie de bife wellington

No outro dia os meus pais jantaram cá em casa. Foi um jantar organizado em cima da hora. E eu, decidida a fazer um franguinho de caril, entendi que meio frango desfiado era suficiente. Louca, é o que sou! Não passaram fome, mas o jantar foi mesmo pobrezinho. Por isso, no sábado passado foi a vez de os compensar.
A sugestão veio do Masterchef Australia e, não sendo um bife wellington original, surpreendeu os convidados que, desta vez não passaram fome!
Ingredientes para 4: - 800 gr de carne de porco picada, temperada com: limão, sal, colorau, alho e tomilho seco; - 2 cuvetes de cogumelos brancos frescos; - 4 colheres de sopa de manteiga; - 5 crepes preparados com: 125 gr de farinha, 1 ovo, 1 gema, 2,5 dl de leite e pitada de sal; - 1 gema para pincelar.
Modo de preparação: Comece por temperar a carne, reservando. Prepare os crepes e reserve-os separados por folhas de papel de cozinha. Frite os cogumelos laminados na manteiga e depois triture-os. Pré aqueça o forno a 200ºC. Deite os crepes sobre película aderente e deite sobre eles os cogumelos, depois o rolo de carne e feche o rolo. Deite sobre um pirex untado com azeite e pincele com a gema de ovo. Leve ao forno por 30 a 40 min, ou até parecer tostadinho.



Acompanhámos com batata frita e salada.
Espero que gostem!


Dá para fazer um novo 25 de Abril?

Ultimamente sempre que vejo as notícias tenho a impressão de que rebento de tanto ódio, e fico estupefacta com o pormenor de o Coelho continuar a tirar coelhinhos da cartola. Hello! Está por aí alguém que concorde que vivemos uma nova ditadura disfarçada de democracia? Entre outras, agora a história é a de acabarem com as reformas antecipadas para os trabalhadores públicos, por entenderem que se estava a tornar insustentável. Caros amigos, insustentável é o vosso ordenado e os luxos que vos suportamos acreditando que vocês conseguem fazer um bom trabalho. E essa de desistirem do projeto TGV? Só me dá vontade de gritar: "Quero o meu dinheiro de volta! Seus f* da p* que andaram a encher os bolsos dos amiguinhos." Como é que acham que o Sócrates, e outros, se dão ao luxo de gastar o meu ordenado de um ano, em apenas um mês? E agora a história da Maternidade Alfredo da Costa? Eu disse logo ao S.: "Pois claro, o edifício está num local privilegiado de Lisboa. Porque não vender para a construção de um hotel de luxo?" A minha prima teve uma menina à pouco tempo nessa maternidade e eu fiquei parva com a quantidade de mulheres por quarto. Aquilo era um cubículo minúsculo que a moça e a criança não se podiam mexer, caso contrário eram cotoveladas e pontapés nas outras mães. Se calhar, os meninos governantes fariam melhor figura se viessem contar ao povinho que a MAC não tem condições...

Enfim, a continuar assim das duas uma: ou emigram os políticos, ou emigramos nós.



quarta-feira, 4 de abril de 2012

Truta grelhada

Já se passou um trimestre de 2012. Faltam mais três. Esforço-me por aproveitar ao máximo os dias, sem me preocupar muito com o amanhã, mas fico um pouco preocupada quando penso que parece que foi ontem que entrávamos no novo ano. Não gosto de sentir o tempo a escapar por entre os dedos qual fina areia. Por isso, à semelhança dos restantes cidadãos do mundo anseio por viver tudo hoje, já que o amanhã é uma incógnita.
Ontem, era dia de peixinho e também dia de leguminosas! Devo comentar que, se não estou em erro, foi a primeira vez que comi truta. Isto de ter a responsabilidade de ter um blogue tem proporcionado conhecer novos sabores e aromas e, só tenho a agradecer a todas/os as/os bloguers que sigo!

Não queria limitar-me a grelhar os moços, por isso, espreitei no livro do Jamie, para ver o que ele poderia sugerir. Passo a apresentar a sugestão, que nos deliciou.
Ingredientes: - 2 trutas inteiras, escamadas, limpas e amanhadas; - azeite; - sal e pimenta preta acabada de moer; - 1 ramo de salsa; - 2 limões, 1 raspado e cortado às rodelas e1 cortado ao meio; - algumas nozes de manteiga.
Modo de preparação: - Pré aqueça o grelhador no máximo. Golpeie as trutas 10 vezes de cada lado. Esfregue com azeite e tempere com sal e pimenta. Recheie as cavidades com salsa picada e limão às rodelas. Ponha as raspas de limão sobre o peixe. Salpique as trutas com a manteiga (limitei-me a dispor algumas nozes). Coloque na assadeira e conte 6 minutos de cada lado.
Acompanhámos com mistura de feijão branco e feijão manteiga, endo-me inspirado numa sugestão da Luísa Alexandra (aqui) quando nos mostrou um feijão numa mistura de tomate que me pareceu divinal. Como não tinha tomates, optei pela polpa de tomate.
Ingredientes: - porção de feijão cozido para duas pessoas; - 1 cebola descascada e picada; - 2 colheres de sopa de azeite; - 4 colheres de sopa de polpa de tomate; - 12 rodelas de chouriço; - pitada de piripiri; - alecrim a gosto; - salsa picada; - água da cozedura do feijão.
Modo de preparação: Aqueça o azeite e adicione a cebola deixando refogar. Acrescente um pouco da água da cozedura para que a cebola não frite. Adicione o feijão a polpa de tomate e mais água da cozedura, sem exagerar, se necessário, adicione um pouco mais. Acrescente as rodelas de chouriço. Tempere com piripiri, alecrim e a salsa. Deixe apurar em lume mínimo por 5-7 minutos.
Espero que tenham gostado!

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Quadrados de bolo com chocolate

Este domingo não fiz nadinha. Ou quase nadinha, vá! Realmente, quando somos um bocadinho mais organizados, conseguimos encontrar uns momentinhos para descansar. Sexta limpei a sala e a casa de banho, organizei a roupa para engomar, arrumando o que não precisava ser engomado. No sábado lavei e estendi alguma roupa, nada de especial, pois fui lavando durante a semana. Lavei a cozinha, fiz pão e iogurtes. No domingo, vida boa, fiz o almoço, estendi a roupa, arrumei a cozinha e fiz um bolo. Aproveitei para estudar e relaxar. Hoje temos dia de ... tchan tchan tchan tchan... natação! Yeh! Pois é, este mês, para não repetir a asneira do mês passado, assim que o vencimento caiu, lá fui eu a correr pagar a mensalidade. Ufa.

Para começarmos a semana em beleza, deixo um doce!

Ingredientes: - 150 gr de açúcar; - 150 gr de farinha; - 1 colher de chá de fermento em pó; - 6 ovos; - 75 gr de chocolate em barra; - 1 colher de café de extrato de baunilha; - manteiga, farinha e açúcar em pó q.b.; - papel vegetal para o tabuleiro.

Modo de preparação: Comece por aquecer o forno a 190ºC. Bata as gemas com 140 gr de açúcar. Junte a farinha com o fermento e misture ao preparado das gemas. Bata as claras em castelo e junte o restante açúcar. Misture a massa e, por fim, o extrato de baunilha. Unte um tabuleiro com manteiga e forre-o com papel vegetal, que também tem de ser untado. Espalhe a massa no tabuleiro e sobre ela distribua o chocolate partido em pedaços. Deixe cozer durante cerca de 25 minutos. Desenforme e, depois de frio, polvilhe com o açúcar em pó e corte em pedaços.

Notas: A receita sugere raspa de uma laranja, como não tinha, substituí pelo extrato de baunilha. Não tenho forma rectangular, mas lembrei-me de usar um pirex.
Ficou perfeito, e o S. até se lembrou de que seria o bolo perfeito para levar para o trabalho.
Espero que gostem!