quinta-feira, 20 de junho de 2013

Relatos bimbólicos!

Há algum tempo que não fazia relatos bimbólicos! Daqueles em que sou a primeira a ficar impressionada com a utilização que posso fazer. Tenho de partilhar pois, depois de ter comentado com uma amiga, que tem outra amiga com bimby, percebi que tal como eu, existem muitas pessoas que podiam explorar melhor o investimento que fizeram.

Antes disso, tenho de comentar uma situação, a propósito de agora apenas usar a bimby para cozinhar. O fogão que temos, foi cedido pelos sogros, e estava adaptado a gás canalizado, que não é o nosso caso. Fui a uma loja aqui da vila, daquelas que comercializam tudo o que tenha a ver com essas coisas, e deram-me o contacto do técnico que colabora com eles. Liguei no mesmo momento, pois não queria deixar para depois (para mim, deixar para depois é cair no esquecimento). O senhor fez algumas perguntas, e depois de ter percebido o tipo de fogão diz-me que vai ser difícil, mas que veria na sua agenda se teria disponibilidade no dia seguinte, como eu havia pedido, e ligaria de volta para acertar pormenores. Até hoje meus amigos, até hoje estou à espera da chamada! Ah e tal que em Portugal não há trabalho (daqui excluo os verdadeiros e desesperantes casos de pessoas que querem e não conseguem absolutamente nada, depois de uma busca incessante). Pois.


Adiante! Esta experiência bimbólica aconteceu na véspera de regressar ao serviço, depois de uma semana de descanso (garanto que só nesta semana de férias é que percebi como estava psicologicamente cansada). Queria comer uma sopinha. Tinha cozido feijão para o almoço. Cozi em excesso para ir consumindo em refeições futuras. Lembrei-me de fazer uma sopa com uma base básica, adicionando parte do feijão e arroz cozido, que aproveitaria para o almoço do marido. Pus a sopa a fazer na panela. Na varoma, coloquei um pirex com o arroz e a água temperada com sal. No outro cesto da varoma, coloquei uma folha de papel vegetal humedecido que cortei para que não tapasse totalmente os buracos laterais, e deitei os ovos mexidos com a cebola picada, o frango desfiado, ervas aromáticas e sal. Para que a omolete cozesse totalmente, demorei 30 minutos nesta aventura. O arroz deve ser retirado entre os 22-25 minutos, senão empapa. A sopa não deve conter pingo de gordura, caso contrário são uns 15 minutos que temos a gordura a ferver. Eu, fiquei maravilhada com a experiência. A omolete fica esponjosa. Uma delícia.

Espero que tenham gostado!

2 comentários:

  1. Minha cozinheira preferida, ainda vais ser responsável pela compra de uma Bimby pela minha pessoa.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Nina, espera pela receita do flan de chocolate, 100% feito na bimby! Que maravilha! Se cederes aos encantos da máquina, avisa, para falarmos com a minha revendedora! LOL
    Beijinho

    ResponderEliminar

Obrigada pela tua participação!