terça-feira, 20 de maio de 2014

A rotina e o bolo da tia Laura

Concluo que efectivamente não sei dizer "Não". Olho para a minha lista de tarefas e percebo que alguns dos seus itens resultam de pedidos de terceiros. Ainda ontem perguntava ao marido se, no momento de apresentar-me a exame para uma das disciplinas deste semestre, apareceriam as pessoas que estão sempre a ligar-me a pedir favores.
 
Por exemplo, na passada sexta feira organizei um jantar aqui em casa. Tinha tudo mais ou menos organizado, e sabia muito bem que o tempo que eu tinha disponível era suficiente para garantir que tudo estaria perfeito. Eis que a vizinha de baixo vê-me na janela a estender roupa e lembra-se de comentar comigo acontecimentos da sua vida. E ali estamos nós, mais de meia hora a falar. E assim, passamos do "Bom dia/boa tarde" para a partilha de temas de índole privada. Apesar de apertadinha de tempo, eu escutei-a pois percebi que era isso que a vizinha queria. Mas não dava jeitinho nenhum...
 
Depois disto, ligam-me a pedir para ir buscar os sobrinhos à escola. Ok, os imprevistos acontecem. Não tem problema. Ou melhor, até tem, mas não é propriamente o fim do mundo.
 
O pior é que ainda tenho de ir ao hiper buscar o que me faz falta e, aproveitando que tenho o talão de 10% de desconto, repor uma série de coisinhas.
 
Juro que não me lembro de alguma vez ter feito as compras tão depressa! Era suposto fazer um bolo, mas pensei: "Rita, sê prática mulher! Limita-te ao bolo da tia Laura." E pronto, fui buscar um pão-de-ló de compra, um pacote de natas, uma lata de ananás e uma tablete de chocolate.
 
Parecia uma louca no hiper, na caixa do hiper, na corrida da caixa para o carro, do carro para a escola, da escola para casa (rua da frente, LOL) e do carro para casa. Ao pousar os últimos sacos pensei: "Consegui! Boa, só falta fazer o filho!".
 
Depois, foi "aturar" os meus sobrinhos. O mai novo anda na fase das maldades. Fecha-se, e fecha os outros, em tudo o que é divisão. Já a sobrinha, anda teimosa teimosa teimosa teimosa. Nêm imaginam o treco que me ia dando por gerir todo este stress. Foi engolir copos e copos de água para reduzir os níveis de ansiedade!
 
Fiz o bolo. É muito simples:
1 - Forrar uma forma com película aderente e reservar.
2 - Montar as natas e adicionar um pouco do sumo do anánas de conserva e o anánas cortado a gosto.
3 - Cortar o pão-de-ló em fatias e dispor no fundo da forma, fazendo uma primeira camada.
4 - Regar o bolo com um pouco do sumo do ananás e deitar parte do preparado das natas. Repetir uma camada de fatias de bolo e assim sucessivamente até a última camada ser de bolo.
5 - Reserve o bolo no frigorífico até ao momento de servir.
6- Ao servir prepare o molho de chocolate e delicie-se.
 
Espero que a vossa rotina seja bem menos stressante!