terça-feira, 10 de janeiro de 2017

De 2016 para 2017

O ano de 2016 teve como principal prioridade voltar a descobrir o meu EU e sentir alguma paz e tranquilidade. Como sempre, tenho mil ideias e nunca paro, o que além de ser muito cansativo provoca constante conflito entre aquilo a que me proponho a fazer e o que eu necessito. Facilmente aceito convites para estar com a família e amigos, sejam convites mais ou menos demorados, e depois o resultado é que fico com menos tempo para as atividades pessoais e familiares aqui de casa.
 
A prioridade deste ano é, sem dúvida, aprender a evitar tudo o que seja excessivo e destabilize o equilibrio que finalmente encontrei. E foi muito simples. Foi só perceber que por vezes nada melhor do que uma tarde em silêncio, ou no sofá a ver um filme, ou simplesmente a folhear um livro de culinaria. Tudo coisas que raramente fiz no ano passado e que já tive a oportunidade de saborear este novo ano.
 
É verdade que todos iniciamos o novo ano com energia redobrada, prometendo a nós próprios uma panóplia de resoluções, algumas mais possíveis que outras. É certo que facilmente perdemos o rumo e esquecemos que supostamente esses objetivos tinham como finalidade ajudar a sermos melhores naquilo a que nos havíamos proposto. Mas, a falta de dedicação e também de apoio, acabam por falar mais alto.
 
Foi a poucos dias do final de 2016, depois de muito me perguntarem o que eu achava do ano que estava a terminar e o que eu queria com o próximo, que me dei conta de que efetivamente eu não tinha noção do tempo, mas estava certa de que a busca do descanso e o reter mais tempo para lazer seriam a nova meta.
 
Pensei muito, até no meu blogue que tanto me ajudou no passado. Não escrevo para ensinar, escrevo para motivar. Não escrevo para os outros, escrevo para mim. Mas, claro que se isso influenciar positivamente quem por aqui passa, fico contente e com mais vontade de deixar sugestões que funcionaram comigo e que poderão ser de ajuda a quem eventualmente se sinta perdido ou insatisfeito.

Na semana passada escrevi na agenda que teria de introduzir nas minhas atividades diarias caminhadas de 30 minutos e um pouco de ioga para principiantes. Falhei. Outra das minhas decisões, esta com desenvolvimento já em 2016, foi a de cuidar a minha saúde financeira. E decidi usar a agenda Kakebo de 2015 que nunca fora aberta. Posso afirmar com toda a segurança que esta resolução foi cumprida toda a semana que passou e continua a ser respeitada. Falaremos melhor deste assunto, mas de forma prática, sem complicar. Sendo que, também daqui resultou um hobbie de que gosto muito - cozinhar! O que não mudou, nem um bocadinho, foi a minha falta de jeito para empratar e para tirar fotografia, como oportunamente poderão comprovar.
 
Tentarei ser mais disciplinada, e pode acontecer que o futuro me surpreenda. Falo de satisfação pessoal, concretização de pequenos objetivos que nos fazem sonhar e alcançar mais.
 
 
Feliz 2017, recheado de felizes momentos e muitas conquistas!